The Lobster

0

 Lobster, um filme que revela um interesse para lá do superficial… não é uma obra-prima, mas desdenha deste abismo social que nos tomam por certo.

 

As demandas conjugais e as procriações imperativas, castram o livre arbítrio que faz de nós um ser original e único, como o ADN nos crê.

 

Traçamos a medida da guilhotina deste o primeiro suspiro, comedidos perante o fracasso e a temperança de arriscar. 

 

O Amor não tem lugar, em pé introduzimos volúpias indesejadas, brotando ressacas que dinamitamos como a panaceia do despertar para a vida de segunda-feira.

 

Indigentes esburacados estão destinados a ser entulho e ignorados pelos números, as pessoas deixam de ter nomes, a humanização é algo do passado…até o sexo tem hora e lugar certo.

 

A lagosta vive para lá de 100 anos e permanece todo o ano fértil, nunca pensei que ser lagosta pudesse ser algo interessante, gosto delas na panela acompanhadas com um Verde de bom-tom.

 

A vocês, vejam o “Lobster”, rebobinem a vida, tenham pressa de viver, e caguem-se nas pintelhices que vos querem vender em promoções de fim de estação.  

 

Don Filipe Tiburcio 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorWhat if Lara was a dude?
Próximo artigoO Tempo

DEIXE UMA RESPOSTA