Sobre os Globos 2017

1

Os Globos de Ouro são talvez a entrega de prémios mais reconhecida e apetecível do nosso burgo. Em 15 anos de carreira estive nomeado três vezes para o certame, ainda em tenra idade, e outras tantas compareci como convidado para poder aplaudir o que de melhor se faz no nosso país. Porque não é só dizer que somos pequenos a toda a hora e depois afinarmos prontamente as línguas para criticar o que de melhor se tenta, mesmo que nem sempre se consiga, fazer no nosso país. 


Não sou grande fã de cerimónias e muito menos de imposições de normativismo. Felizmente sou músico e permito-me fugir à tradicionalidade que tantas vezes nos é impingida por factores que ainda hoje desconhecemos. Nunca viram aquele vídeo da Porta dos fundos em que ele nos deixa com este brilhante chavão: Se permita! 


Sabia, como em tantas outras escolhas da minha vida, que estava a correr riscos ao envergar a roupa que escolhi. E não me preocupei assim mesmo. É como aquela história da moça que é violada porque ia de mini-saia e se estava a habilitar, estão a ver? Eu habilito-me porque sei que o erro não reside do lado de cá. Se é que há erro possível em sermos quem queremos. Porque acho que devemos ser como somos sem que julgamentos alheios nos possam condicionar as directrizes. Já estive no lugar de comentador de moda num programa da especialidade, fruto da minha formação em styling e consultoria de imagem, e posso dizer que me foi desconfortável, no sentido em que nos é difícil tentar moldar os outros a um padrão de estilo que seja visto como adequado por todos. Já fui também comentado em iguais circunstâncias e manteve-se o desconforto de pensar porque é que alguém se sentirá no direito de questionar a minha apresentação como se ela me definisse em coisas que realmente importam. 
Tenho a certeza de que se estivéssemos numa gala internacional ou fosse o Pharrell Williams a envergar o meu traje todos o olhariam de diferente forma. Pois é, não gosto de smokings tradicionais, não gosto de me vestir em consonância com os outros e sei que o preço a pagar por isso é chamar a atenção de tantos treinadores de bancada para os quais o escárnio ainda configura um desporto aprazível. 

Como o bitaite é uma cena grátis e ao acesso de todos, vou primeiramente agradecer à Ines Torcato, ao Luís Carvalho, que por acaso venceu o globo de melhor estilista na noite passada, e à Eureka Shoes por me vestirem como eu quero e gosto e dizer-vos também quais, na minha humilde óptica, foram os looks que se destacaram na noite de ontem. 

Claudia Vieira 


Vitória Guerra


Sara Matos


Liliana Santos


Mariana Pacheco


Raquel Strada


Carolina Loureiro


Raquel Prates


José Fidalgo


Luis Borges