Feliz na ilha

2
Hoje, os olhos entreabriram-se pela madrugada, sendo a penumbra um visitante inesperado que nos pode oferendar regalos inimaginados. Acariciei a coberta da cama, entrelacei os dedos na pata do meu mais novo e tentei regressar ao espectro dos sonhos literais, mas não me foi possível virar costas à claridade matinal e desistir mais uma vez de começar o dia à hora que ambiciono e creio ser certa.
Mexi ovos e dei umas trincas numa banana e numa pêra, quis ser mais veloz e dei uma hipótese ao corpo de contrariar a mente. A folga justificava que me entregasse ao exterior e que o deixasse provar-me valer a pena partilhá-lo com os demais fantasmas que por aí deambulam em busca de um lugar ao sol.
Já o cais se avistava e eu divorciava-me da marcha para namoriscar a corrida. Ia parando de quando em vez para alternar quem aos ouvidos me entoava cânticos que já esquecera e contemplar a arte urbana que me implorava para ficar registada no meu diário virtual.
Sorri para comigo e tentei convencer-me de que esta seria uma boa rotina para o que me exijo ser amanhã. Quando dei por mim já a ponte se erguia sobre mim e pela face emergiam casais de lágrimas e gotas de suor que exultavam a dança consequente de um dia mais feliz.
Já o noticiário da uma devia estar a dar e eu permanecia em fotossíntese pelo padrão dos descobrimentos onde me instiguei a comer sopa às colheres e a beber água de forma despropositada. O meu gémeo de ontem sussurrava-me que não valia a pena ser tão drástico e lá me levara a investir as moedas que me sobravam na carteira num maço de tabaco . Sim, fumei e foi quase sublime.
Como se o bem e o mal pudessem flirtar de forma estrategicamente ética e eu pudesse assistir a todo o espectáculo de camarote.
No regresso achei que devia deitar-me em todas as superfícies que me parecessem convidativas e fi-lo por diversas vezes sem que o relógio me importunasse.
Cheirei o rio como se de um assassino me tratasse, apreciando o sal e a brisa aquosa enquanto me permitia isolar o azedo de uma podridão que só por nós, ilustríssimos humanoides, poderia ser germinada.
A música entrelaçava-se, alto e velozmente, num espírito escancarado aos sentidos do tempo e do espaço. O berço da vida na cidade e eu, poeta vadio, a contemplar o privilégio que é existir no meio de tudo, permitindo-me a sentir mais do que nada.
As pernas não se incomodaram de esfriar e da última vez que me sentei demasiado perto da beira rio, a maré subiu e o manifesto das águas banhou todos os meus pertences e uns pés cansados que se abrigaram numa pequena ilha de betão. Sorri e fiquei com vontade de repetir tudo outra vez.
A rotina não me assusta. Quando é boa e eu ainda a sei apreciar.
COMPARTILHAR
Artigo anteriorThe Funny Gentleman
Próximo artigoLook book – Femme –

2 COMENTÁRIOS

  1. Sou mulher perfume
    de olhar infinito
    alma rara
    ser que quer ser amada
    beijada e acariciada
    sou mulher a crescer
    sou mulher de querer
    lutadora
    pantera de natureza
    sereia de alma livre
    a ti presa
    só a ti te espero e quero
    só contigo vejo o meu dia a partilhar
    quero-te tanto
    mulher de mil faces
    de um coração maior que o mundo
    vem e ceita meu amor
    vem e traz uma flor
    o anel pode ser de papel
    quero sentir na minha boca de mel
    o sabor do teu cantar
    vem quero-te amar
    contigo continuo a sonhar
    entras no meu meditar
    és o rosto que eu amo
    quero-te a meu lado todo o ano
    vem te espero
    vem te quero
    não me faças esperar
    vem receber meu beijar
    vem comigo estar
    vem vamos nos amar
    a rotina não me assusta contigo
    vem, estou a te esperar
    Vem quero te abraçar
    vem quero minha mão te dar
    dar meu ombro amigo
    vem quero estar contigo

    Para ti Ze B.

  2. Continuo a querer estar contigo. Vem, te espero,cada vez quero-te mais, és desejo e só de ti quero um beijo. Coração corre veloz por ti, tu és em mim voz, ponte que quero atravessar e para sempre abraçar e beijar. Para ti daquela que é só tua. beijinho grande para o teu grande coração Zé Bicho

DEIXE UMA RESPOSTA