Fados

2
Tentamos planear o caminho das coisas
Regionalizar o percurso e anteceder os passos
Enrolando o que nos resta das nossas cinzas
Parcelando o trajecto e os percalços em pedaços
Há páginas em branco e lápis por afiar
Horas em claro e ímpetos contraditórios
Palavras esbatidas e encontros por adiar
Demoras e paragens em segmentos inglórios
Planear o amanhã e forçar as motivações
Abraçar as mudanças e minimizar os estragos
Manter a mente sã e criar distrações
Renegar a temperança com estranhos amargos
Manter a serenidade e domar a verborreia
Recuperar a amizade e beber com a sereia
Clarear a importância dos que me sustentam
Ignorando as expectativas e os monstros que inventam
Aprisionar tantos emissários do combustível de quem somos
Calando a originalidade de palcos nunca antes por mim pisados
São torturas indescritíveis que nos prescrevem nos assomos
Daquilo que idealizamos ser a saudade que origina o mais belo dos fados
By Darko
COMPARTILHAR
Artigo anteriorA Floresta
Próximo artigoLook Book – Homme –

2 COMENTÁRIOS

  1. A vida e um fado escrito por nós
    A vida e para ser vivida e partilhada
    Gosto por ti ser amada
    A toda a hora me sentir beijada
    Abraçada e esperada

  2. Quero pisar o palco do amor e escrever a peca que é a vida com o grande amor da minha vida. Esperei toda a minha vida por ti e vou continuar a espera pois sei que vale a pena esperar. Fomos, somos, seremos.

    Cristina Vieira
    P/Z. B.

DEIXE UMA RESPOSTA